Embrapa apresenta novidades na Expointer 2013

Além do lançamento de cultivares e publicações, Embrapa realiza assinatura de convênios, apresenta rótulos voltados a deficientes visuais e divulga novidades relativas à produção de azeite
Data: 23/08/2013

Foto: Paulo Lanzetta

Por mais um ano consecutivo a Embrapa, vinculada ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), estará presente na Expointer, realizada no Parque de Exposições Assis Brasil, em Esteio/RS. Neste ano, oito Unidades levarão suas tecnologias a uma das maiores exposições agropecuárias da América Latina. Dentre as novidades apresentadas estão o lançamento da cultivar de aveia preta BRS Madrugada e da cultivar de milheto BRS 1503. Haverá também o lançamento de três livros: “Zoneamento Edafoclimático da Olivicultura para o Rio Grande do Sul”, “Zoneamento Edáfico da Cana-de-açúcar para o Rio Grande do Sul”, e “500 perguntas, 500 respostas – Maçã”. Também integra a agenda da Embrapa no evento a assinatura de convênios e acordos. A Expointer ocorre entre os dias 24 de agosto e 1º de setembro.

Outra novidade é a presença da Livraria Embrapa (www.embrapa.br/liv) e do programa de Rádio Prosa Rural (www.embrapa.br/prosarural). Mais de 150 títulos estarão à disposição, vendidos a preços especiais, com 30% de desconto. Entre eles, os relacionados às atividades desenvolvidas na região, como o cultivo da maçã, da pera, do arroz, do trigo e da soja. O programa de rádio, por sua vez, estará presente para divulgar tecnologias da Embrapa e de suas instituições parceiras, além de entrevistas ao vivo com pesquisadores e técnicos. Este trabalho será realizado em conjunto com a Emater/RS-AScar, no Espaço Caminhos da Integração.

Além de tecnologias voltadas à atividade agropecuária, a inclusão também fará parte do leque de produtos e serviços disponíveis pela Embrapa na Expointer. A Embrapa Uva e Vinho (Bento Gonçalves, RS) apresentará o novo design dos rótulos dos produtos experimentais (vinhos, sucos e brandy) por ela desenvolvidos, que passarão a conter inscrições em braile.

Também em destaque a apresentação do Laboratório de Análises de Azeite da Embrapa Clima Temperado (Pelotas, RS). A finalidade do espaço é a realização de pesquisas e prestação de serviços ao Mapa, com avaliações físico-químico-sensoriais do azeite, principalmente para detecção de adulterações. Ambas as apresentações ocorrerão na sexta-feira, 30, na Casa da Tecnologia do Mapa na 36ª Expointer, durante solenidade que marca os 40 anos da Embrapa.

Lançamento de tecnologias
Duas cultivares serão lançadas pela Embrapa na Expointer: a aveia BRS Madrugada e o milheto BRS 1503. Mais detalhes sobre essas tecnologias estão disponíveis abaixo. Os lançamentos ocorrerão na sexta-feira, 30, a partir das 15h, na Casa da Tecnologia.

Aveia BRS Madrugada - É uma cultivar de aveia para cobertura e pastejo desenvolvida pela Embrapa Trigo (Passo Fundo, RS). Destaca-se pela precocidade de espigamento e maturação. É tolerante ao crestamento (acidez do solo), tem menor suscetibilidade ao vírus-do-nanismo (VNAC), elevada uniformidade de plantas, com tipo agronômico para aptidão forrageira e para cobertura de solo, com rendimento médio de 5 mil kg/ha de matéria seca. A BRS Madrugada visa à produção de forragem e matéria seca de planta no Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná, Mato Grosso do Sul e São Paulo. O lançamento ocorrerá no dia 30 de agosto, a partir das 15h, no Hall da Casa da Tecnologia do Mapa, durante Solenidade de 40 anos da Embrapa.

Milheto BRS 1503 – A Embrapa Trigo, em parceria com a Embrapa Milho e Sorgo (Sete Lagoas, MG), lançará a cultivar de milheto para forragem. O material destaca-se pela alta capacidade de rebrota, por sua tolerância à seca, pela excelente cobertura de solo e, ainda, por apresentar alto teor de proteína. Além disso, a BRS 1503 é resistente a nematoide. A região de adaptação desta cultivar abrange os estados do Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Paraná.

Lançamento de livros
Da mesma forma que as cultivares, três livros serão lançados no dia 30, durante solenidade na Casa da Tecnologia do Mapa. “Zoneamento Edafoclimático da Olivicultura para o Rio Grande do Sul”, “Zoneamento Edáfico da Cana-de-açúcar para o Rio Grande do Sul” e “500 perguntas, 500 respostas – Maçã”. Mais informações sobre estas publicações abaixo.

Zoneamento Edafoclimático da Olivicultura para o Rio Grande do Sul - Elaborada pelos pesquisadores da Embrapa Clima Temperado José Filipini, Carlos Alberto Flores, Marcos Wrege, Enilton Fick Coutinho e Rogério Oliveira Jorge, a publicação identifica áreas com maior potencial para a exploração racional da cultura da oliveira no Rio Grande do Sul, considerando aspectos como clima e solo. Trata-se do primeiro zoneamento oficial da America do Sul para a cultura das oliveiras, com informações mais detalhadas do que os trabalhos realizados por países vizinhos como Chile, Argentina e Uruguai.

Foto: Paulo Lanzetta

Zoneamento Edáfico da Cana-de-açúcar para o Rio Grande do Sul - O zoneamento se desenvolveu como atividade associada ao projeto “Desenvolvimento da cultura de cana-de-açúcar no Estado do Rio Grande do Sul”, conduzido pela Embrapa Clima Temperado e financiado pela FINEP, com colaboração da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Os critérios de avaliação da aptidão edáfica incluíram drenagem, profundidade efetiva, grupamento textural, fertilidade, pedregosidade/rochosidade e relevo. No estado ocorrem extensas áreas nas classes “recomendável” e “pouco recomendável com restrição por fertilidade”, cobrindo uma área relativa de 46,3 % da superfície estadual. Aproximadamente 22% do território são “não recomendáveis”, ocupados por água ou de uso urbano.

500 perguntas, 500 respostas - Maçã - O livro apresenta informações sobre os mais variados aspectos que caracterizam a produção de maçã no Brasil. Contempla temas como clima, solo, propagação, melhoramento genético, implantação de pomares, cultivares, quebra de dormência, adubação, irrigação e fertirrigação, raleio de frutos, manejo de pragas e doenças, colheita, comercialização e produção integrada. A publicação, editada pela Embrapa Informação Tecnológica (Brasília, DF), é resultado do trabalho de pesquisadores da Embrapa Uva e Vinho e de instituições parceiras, como a Universidade do Estado de Santa Catarina, a Empresa de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural de Santa Catarina (Epagri) e a Fundação Estadual de Pesquisa Agropecuária (Fepagro), do Rio Grande do Sul.

Assinaturas de contratos e parcerias
Também no dia 30, a partir das 15h, durante a solenidade dos 40 Anos da Embrapa, serão assinados alguns convênios e acordos entre a Empresa e outras Instituições. Com a Universidade Estadual do Rio Grande do Sul (UERGS) a Embrapa Clima Temperado assina convênio de cooperação para desenvolver o conhecimento técnico-científico brasileiro. Neste mesmo sentido, a Embrapa Clima Temperado assina outros dois termos de cooperação técnica: um com o Instituto Federal Farroupilha (IFFarroupilha) e o outro com a Associação dos Usuários do Perímetro de Irrigação do Arroio Duro (AUD) e o Instituto Rio Grandense do Arroz (IRGA).

Biogás - Visando transformar resíduos da produção em renda para os agricultores, a Embrapa também assina contrato de cooperação com a Itaipu Binacional e a Fundação Arthur Bernardes, visando à utilização de resíduos animais na produção de biogás. O ministro da Agricultura, Antônio Andrade, o presidente da Embrapa, Maurício Lopes, e o diretor-geral da Itaipu Binacional, Jorge Miguel Samek, assinarão o convênio. O investimento total da Itaipu e Embrapa no período de três anos será de R$ 7,38 milhões.

Produção Integrada - O Mapa assina, também com a Embrapa Clima Temperado, a segunda fase da Produção Integrada de Oliveira e a Produção Integrada de Citros de Mesa; e a segunda fase da Produção Integrada de Arroz. A Produção Integrada Agropecuária (PI Brasil) está focada na adequação de sistemas produtivos para geração de alimentos e outros produtos agropecuários de alta qualidade, garantindo a sustentabilidade e viabilizando a rastreabilidade da produção agropecuária. Na Fase I foram desenvolvidos os manuais com as normas técnicas para a certificação. Agora, na Fase II, será estimulada a adesão por parte dos produtores.

Outras tecnologias da Embrapa na Expointer
Além dos lançamentos e das novidades, as oito Unidades da Embrapa presentes na feira levarão algumas tecnologias já consagradas, disponibilizando informações através de material impresso e material demonstrativo. A exposição será realizada em quatro espaços: na Casa da Tecnologia, no Pavilhão do Gado de Leite, no Espaço Caminhos da Integração, em parceria com a Emater/RS-Ascar, e no Pavilhão da Agricultura Familiar do RS. Confira abaixo algumas dessas tecnologias.

Softwares – A Embrapa Informática Agropecuária (Campinas, SP) levará à Expointer nove softwares e sistemas que auxiliam na gestão da informação agropecuária. São eles a Agência de Informação da Embrapa (www.agencia.cnptia.embrapa.br), que reúne conhecimento técnico-científico gerado pela Embrapa e outras instituições; o Agritempo (www.agritempo.gov.br), que permite o acesso a informações meteorológicas e agrometeorológicas de diversos municípios brasileiros; o Alice (www.embrapa.br/alice), um repositório de informações da Embrapa; o Diagnose Virtual (http://diagnose2.cnptia.embrapa.br/diagnose/), para diagnóstico remoto de doenças; o Infoteca-e (www.infoteca.cnptia.embrapa.br), que permite acesso on-line ao acervo digital de tecnologias produzidas pela empresa; o Invernada (www.invernada.cnptia.embrapa.br), uma ferramenta para planejamento da produção de bovinos de corte; o Planeja (www.planeja.cnptia.embrapa.br), que visa auxiliar o planejamento e acompanhamento de atividades agrícolas; o Sabiia (www.embrapa.br/sabiia"), uma ferramenta de busca de conteúdos resultantes da pesquisa científica em agricultura e áreas afins; e, finalmente, o Sisla (http://sisla.imasul.ms.gov.br), que reúne um conjunto de informações para que consultores e empreendedores possam elaborar pedidos de licença ambiental.

Arranjo Tecnológico no Tratamento de Dejetos Suínos para a Produção de Fertilizante Orgânico - É o resultado de mais de 10 anos de pesquisas realizadas pela Embrapa Suínos e Aves (Concórdia, SC) na área da compostagem de dejetos suínos. Entre os benefícios do uso do fertilizante orgânico estão a geração de renda pela comercialização do produto; a possibilidade de ampliação do plantel de suínos em uma mesma área; a destinação ambientalmente correta para os dejetos suínos; a baixa emissão de gases de efeito estufa (como; por exemplo; o gás metano); a reciclagem de resíduos da produção; a redução de odores no tratamento; a possibilidade de obtenção de créditos de carbono; o aumento de matéria orgânica no solo; e o fato de ser uma tecnologia contemplada no programa ABC (Agricultura de Baixo Carbono) do Governo Federal.

Poedeira Embrapa 051 - Oferece uma produção bem superior à das aves coloniais rústicas. Produz de 280 a 300 ovos a cada ciclo, enquanto uma galinha colonial comum atinge 80. A poedeira desenvolvida pela Embrapa Suínos e Aves também é considerada de duplo propósito, com capacidade para produção de ovos pelas fêmeas e de carne pelos machos (abatidos com 120 dias). A poedeira se destina a criações semiconfinadas ou agroecológicas. Apesar de apresentar características coloniais, ela preserva todas as vantagens da avicultura comercial, como o controle sanitário e a garantia de qualidade do produto oferecido ao consumidor.

Variante FecG-Embrapa - Pesquisadores da Embrapa Recursos Genéticos e Biotecnologia (Brasília, DF), em parceria com a Embrapa Tabuleiros Costeiros (Aracaju, SE), identificaram uma mutação genética natural em ovelhas da raça Santa Inês que está fortemente relacionada ao aumento da ovulação e prolificidade (número de crias por ovelha). Esta variante pode proporcionar um aumento de mais de 50% no número de crias por ovelha em relação a ovelhas que não possuem essa característica. Os pesquisadores das duas Unidades da Embrapa desenvolveram uma metodologia baseada em técnicas de biologia molecular que permite identificar de forma rápida e eficiente essa mutação em qualquer rebanho ovino.

Mutação genética Vacaria - Há mais de dez anos vem sendo efetuada, na Embrapa Pecuária Sul (Bagé, RS), a prospecção de genes relacionados à prolificidade nas raças ovinas exploradas comercialmente no sul do Brasil. Como produto desses estudos, a primeira mutação com essa característica foi denominada de “Vacaria”, e foi identificada em rebanhos da raça Ile de France, criada para produção de carne. Essa mutação possibilita a maior incidência de partos duplos e/ou triplos das ovelhas portadoras do gene. Dessa forma, a mutação é uma excelente ferramenta para incrementar a produção de carne ovina via prolificidade. Aliada a técnicas adequadas de manejo reprodutivo e alimentar, esta tecnologia poderá incrementar o número de cordeiros desmamados anualmente nas propriedades rurais.

Qualidade de Sementes Forrageiras - O sucesso da implantação de uma boa pastagem depende, em grande parte, do uso de boas sementes forrageiras. No mercado, atualmente, encontram-se disponíveis uma grande quantidade de sementes de baixa qualidade. Diante desta situação, é de extrema importância que os elos da cadeia produtiva de sementes fiquem atentos a diversos fatores que intervém na qualidade genética, física, fisiológica e sanitária, como por exemplo, a escolha dos campos de produção e os manejos de produção, colheita e pós-colheita. Nesse sentido, a Embrapa Pecuária Sul apresenta suas pesquisas e resultados voltados para tecnologias de produção de sementes forrageiras de qualidade, que possam atender as demandas do produtor com maior segurança e produtividade. Nessa exposição, a Embrapa vai mostrar material demonstrativo de indicadores capazes de atestar a qualidade de sementes adquiridas pelos produtores.

Cultivar BRS Estribo de capim Sudão - A cultivar de capim sudão BRS Estribo foi desenvolvida pela Embrapa Pecuária Sul, em parceria com Associação Sul-Brasileira para o Fomento de Pesquisas em Forrageiras (Sulpasto), e é mais uma opção de forrageira anual de verão para os produtores da região sul. A nova cultivar apresenta importantes vantagens em relação às sementes atualmente disponíveis no mercado. A principal é ofertar uma cultivar registrada aos produtores, com garantia de qualidade e de pureza das sementes, de acordo com a legislação. As plantas do BRS Estribo não apresentam problemas de toxidade aos animais nos estágios iniciais de desenvolvimento.

Forrageiras – Além da BRS Estribo, outras três cultivares de forrageiras serão levadas pela Embrapa Clima Temperado ao Pavilhão do Gado de Leite. A BRS Kurumi é uma cultivar de capim-elefante anão recomendada para a região Sul, Cerrado e Amazônia. Destaca-se por ser uma espécie de verão e perene, com ampla adaptação e facilidade de manejo. O azevém BRS Ponteio é uma gramínea anual que apresenta alta produção e qualidade de forragem, tendo como principais características o ciclo longo e a alta proporção de folhas. Finalmente, a BRS Resteveiro é uma cultivar de trevo-persa com ótima adaptação a solos úmidos, com capacidade de produzir 30 toneladas de pasto verde por hectare, o que corresponde a 6 toneladas de matéria seca.

Conversa com o pesquisador - De 26 a 30 de agosto, das 9h às 16h, pesquisadores e analistas que trabalham com a produção de leite, de diversas Unidades da Embrapa, também estarão presentes no pavilhão de Bovinos de Leite. Cada dia uma temática estará no centro das discussões conforme programação abaixo. A ideia é prestar atendimento e realizar uma troca de experiências entre produtores, técnicos, estudantes e demais interessados na atividade leiteira.

Confira abaixo a programação do Conversa com o pesquisador:
26/08 – Reprodução animal
27/08 – Qualidade do leite
28/08 – Nutrição animal
29/08 – Integração lavoura-pecuária
30/08 – Melhoramento de forrageiras



Assessoria de Imprensa na Expointer
Francisco Lima | 13696 DRT/RS
Embrapa Clima Temperado

Elizabete Antunes | MTb 744/DF
Embrapa/Secretaria de Comunicação
Contato: (61) 9964.24246335 | 3448-4284 | elizabete.antunes@embrapa.br

Colaboraram no texto os jornalistas:
Cristiane Betemps
Embrapa Clima Temperado
Contato (53) 3275.8215 | cristiane.betemps@embrapa.br

Fernanda Diniz
Embrapa Recursos Genéticos e Biotecnologia
Contato: (61) 3448.4769 | (61) 3340.3672 | fernanda.diniz@embrapa.br

Fernando Goss | MTb 1065/SC
Embrapa Pecuária Sul
Contato: (53) 3240.4660 |8125.7097 | fernando.goss@embrapa.br

Giovani Antonio Capra
Embrapa Uva e Vinho
Contato: (54) 3455.8000 | Fax: (54) 3451.2792 | giovani.capra@embrapa.br

Joseane Antunes | MTb 9396/RS
Embrapa Trigo
Contato: (54) 3316.5860 | joseani.antunes@embrapa.br

Kátia Marsicano | 03645 MTb
Embrapa Informação Tecnológica
Contato: (61) 3448.4590 | katia.marsicano@embrapa.br

Lucas Scherer Cardoso | MTb 10158/RS
Embrapa Suínos e Aves
Contato: (49) 3441.0454 | lucas.cardoso@embrapa.br

Nadir Rodrigues | MTb 26948/SP
Embrapa Informática Agropecuária
Contato: (19) 3211.5747/9683.9569| nadir.rodrigues@embrapa.br